quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Flash Mob

Faz tempo que escrevo aqui no blog sobre o processo de individualização que a nossa sociedade caminha. A era do self-made-man que é caracterizada pela sobreposição do ter pelo ser, nos baliza e nos baila hoje em dia. Uma lógica cartesiana meio enjambrada: tenho logo sou!
Este mito moderno onde o Homem contemporâneo se afoga narcisicamente acreditando que sua única função é gozar de tudo aquilo que é de seu direito (esquecendo dos seus deveres), tem nos deixando em apuros.
Bom, essa era a ideia primária!
Depois de assistir o Flash Mob que deixou a apresentadora Oprah de queixo caído e peitos balançando, conversei com uma amiga sobre a onda Flash Mob que vem acontecendo, ela por sua vez, mostrou alguns vídeos destas intervenções urbanas interessantíssima.
Eu já acompanhava alguns episódios do programa Mob Brasil apresentado pela Didi Wagner no canal Multishow (não critiquem, a ideia é boa), então não era novidade. Porém, longe de querer comparar a tentativa do programa com as grandes produções, acredito que o programa traz a ideia de nos incentivar na criação de novas formas de simbolização. Diante do inesperado, somos obrigados a criar legendas subjetivas para dar conta daquilo que soa estranho nas nossas sensações. Mobilizar através da arte, performática ou não, tem dado certo!
Creio que foi Fatboy Slim que deu inicio a está estratégia com o clipe Praise You, colocando uma galerinha para dançar na frente de um cinema (?)
Depois de assistir o top 8 flash mob do blog do Não Salvo que a minha amiga recomendou, ela diz: "Não podemos mais dizer que a nossa sociedade está individualizada". Realmente, tanto os videozinhos quanto a frase da minha amiga me fizeram/fazem refletir sobre está afirmação vanguardista. Ainda não consigo afirmar que o processo de individualização "parou", mas que tornou tudo mais divertido. Há! Isto tornou.
P.S.: Não vejo a hora de participar de um (nem que seja como espectador)

2 comentários:

oi disse...

Eu acho que não há mais tempo para não participarmos deste tal de flash mob. :D

qualquer menina disse...

eu tb quero participaaaar
se souber de um por aqui avise pq eu sou mto fora das noticias.. nao acompanho nda.
sobre a individualização estar acabando.. sei lá.. acho que sou meio pessimista pra acreditar nisso. Por outro lado, vendo Avatar semana passada eu parei pra pensar que de fato a nova geração deve ser diferente.. com toda esta ênfase ambiental.. com um filme que em vez de Rambo e suas guerras sem motivo (eu pelo menos nunca sabia quem e por que ele estava matando..) temos líderes que não querem guerrear, que odeiam a guerra e que só a fazem em casos de preservação.
Enfim, de qualquer modo fico feliz em ver que tem gente que vê um flashmob e consegue abstrair a partir disso..
quando eu vi eu achei legal e só.
rs

beijoo